Novidade!!! E-book Elas sonham… Eu, conto!

Oie!!!
Sei que ando sumida rsrsrs tempo é algo que nos falta muito hoje com o corre corre da vida. Nossa maratona diária entre família, trabalho, estudos… enfim… Mas estou numa de vícios literários.

Devorando cada livro que aparece e amando muitoooooooo.

Porém não deixo de escrever, o que é minha outra paixão. Tanto que já estou lançando um e-book de contos sensuais.

WHAT???????!!!!!!!!!!!

São 6 mini contos de deixar água na boca…. é o que dizem pelo menos, sou suspeita pra falar né, rsrs.

Então… inspirado em livros e personagem que algumas amigas adooooooram, criei os contos e estou lançando em formato de e-book no site https://www.amazon.com.br/ .

Para adquirir o seu basta clicar nesse link aqui embaixo  e pronto! Poderá desfrutar de uma leitura super intensa…

https://www.amazon.com.br/dp/B01CRQK5MW

Capa Elas sonham.. Eu conto.jpg

Capa Antiga

received_1098178960255757

Capa Nova

Veja as opiniões abaixo e garanta já o seu!

“Os contos da autora Aline Martins, são um verdadeiro mar de surpresas, e são surpresas de deixar qualquer um de queixo caído e com a imaginação à flor da pele. Cada conto um mais quente que o outro, não dando vontade de parar de ler…”

– Cinthia Gutierrez – ADM do grupo Lunáticas por Romance, Blogueira e Agente Literária

“Uma grata surpresa da literatura hot, Aline Martins vem através dos seus contos surpreender suas leitoras com histórias quentes e de pegada forte. Temos o prazer de ter entre nós mais uma escritora de tirar o fôlego e acelerar os batimentos cardíacos.”

– Juliana Mendes – Escritora, Autora de Porque Fechei Os Olhos

Velha Infância

Assistindo a um seriado, me deparei com minhas lembranças de infância, onde podíamos brincar na rua sem muitos sustos, jogar de bola, ciranda, pega, pique, esconde, correr à vontade. Ah como eram bons esses tempos, ruas mais tranquilas, jogos divertidos, brincar ao ar livre.

Hoje, quase não vemos crianças na rua a brincar, o perigo da “evolução” tomou de conta de tudo e de todos. Em cada esquina vemos adultos, jovens e até crianças mesmo, usando drogas, bebendo, fumando, sendo influenciadas por um universo de sabores nada agradáveis aos olhos, olfato e paladar, apenas para fugir de realidades que nem imaginamos existirem. Violência contra crianças, mulheres, idosos, no trânsito; preconceito de raças, etnias e pessoas diferentes, famílias desestruturadas, enfim, uma infinidade de situações que nós não conhecemos, apesar de serem noticiadas diariamente.

Hoje, realmente, bateu mais forte a saudade de minha velha e boa infância.

Divagando…

Quem sou eu? Quem quero ser amanhã? São perguntas que me rodeiam mais ultimamente. Quero ser livre, ter asas e poder voar. Quero ser pesada e fria e assim esmagar tudo que me faz sofrer. Quero ser quente e macia para acarinhar e ajudar a quem precisa. Quero ser eu, simplesmente, coisa que não tenho sido faz alguns dias.

Quem eu sou? Ainda vou demorar algumas centenas de dias para responder.

Quem quero ser amanhã? Alguém importante, para alguém, que me aceite como sou, que não queira me mudar.

Quero ser eu, em qualquer hora e lugar.